Quanto vale a sua marca?

Dizem que a propaganda é a alma do negócio. Eu não acredito nisso. Eu acredito que a MARCA é a alma do negócio. E não estou falando de logotipo ou representação visual da empresa, tampouco pretendo entrar em teorias acadêmicas de branding, mas me refiro a tudo o que representa de fato um negócio ou pessoa. Como os seus clientes, o mercado e a sociedade em geral enxergam você? Qual a sua reputação? Qual a qualidade percebida pelo produto que você vende ou serviço que você presta? Como você é visto diante de seus concorrentes? Saiba que o conjunto de todos estes fatores é o que de fato define a sua marca.

 

A marca é a alma de qualquer negócio e, como tal, merece atenção. Infelizmente, hoje, isto é negligenciado pela maioria dos gestores. O que você acha que sua marca é pode não ser o que o seu cliente acha e por este motivo é fundamental investir em uma boa comunicação.

 

O que você comunica, seja através de suas campanhas publicitárias ou principalmente através das suas atitudes do dia a dia, refletem diretamente na percepção da sua marca. Não adianta você comunicar que o seu produto tem a melhor qualidade se na realidade ele não tem. E o mesmo vale para o oposto: não adianta você ter um produto com a melhor qualidade se você não comunica isso.

 

A comunicação é uma via de mão dupla. Portanto, repense na informação que você está emitindo para os seus clientes e demais públicos e na forma como eles estão interpretando e devolvendo isso a você. A forma como você se posiciona e age define a empresa ou profissional que será visto pelo seu cliente.

 

Lanço um desafio: responda a estas questões abaixo e depois faça as mesmas perguntas a um potencial cliente. Veja se a resposta é semelhante. Se não for, saiba que sua comunicação precisa ser repensada.

 

* Qual o principal diferencial da sua empresa/produto/serviço?

 

* Qual a qualidade do seu produto/serviço diante da concorrência?

 

* Como está o meu preço diante da concorrência?

 

* A sua marca é fundamental no processo de decisão de compra do seu cliente? Ou seja, se houvessem dois produtos com preço e qualidade semelhante, ele escolheria o seu ou do seu concorrente?

 

* A sua marca se preocupa com o cliente como indivíduo, além das questões comerciais?

 

Grandes marcas, quando bem construídas, chegam ao status de “love mark” a ponto de serem tatuadas na pele por admiradores. Grandes marcas sobrevivem a qualquer crise, como por exemplo a Parmalat que já passou por diversas fases difíceis e mesmo assim continua firme no imaginário popular como referência de produto de qualidade. Grandes marcas possuem valor financeiro maior do que os ativos das empresas que as controlam. Grandes marcas possuem vida própria.

 

Se você possui um bom produto ou serviço mas ainda não investe na comunicação da sua marca, saiba que é hora de repensar isso para construir uma marca forte.



 

* Bruno Lessa é publicitário e pós-graduado em Marketing pela USP. É diretor da Marketing SIM (www.marketingsim.com.br), agência de soluções integradas de marketing baseada em São Paulo que atende clientes de diversos segmentos, idealizador do portal Vitrine Publicitária (www.vitrinepublicitaria.net) e editor do Portal VGV (www.portalvgv.com.br).