Sua empresa está preparada para festejar o final de ano?

Diretor da Marketing SIM exalta a importância das confraternizações para as empresas e seus colaboradores.

Agora que já pensamos nos brindes de final de ano, há outro ponto importante para o final de ano: fazer ou não uma festa de confraternização? A dúvida sobre para que servem estas festas é o principal ponto que faz com que os donos de empresas não se decidam. Confira o conteúdo especial com dicas e explicações para este tema.

Segundo o diretor da Marketing SIM (www.marketingsim.com.br), Bruno Lessa, é “muito importante investir nas festas de final de ano, e todas as empresas fazem, mesmo que sejam pequenas. Uma festa de confraternização é uma ótima oportunidade de vender a empresa institucionalmente, tanto para os funcionários quanto para os clientes”. É uma forma de tornar a marca uma referência, não apenas em sua área de atuação, mas em seu tratamento com o outro. Como Bruno explica: “é uma oportunidade de estreitar os laços, mostrar a evolução do negócio, falar de projeções futuras e, até mesmo, premiar quem se destacou durante o ano. Tudo isso em clima festivo e descontraído, onde as pessoas estão mais abertas para receber e reter a mensagem”.

É interessante lembrar que a premiação é um ponto importante para o funcionário, pois as festas de final de ano, normalmente, são abertas para a família, ou seja, o funcionário ou cliente pode levar ao menos um acompanhante. Segundo o diretor da Marketing SIM afirma, os dois pilares que a empresa deve levar em consideração são: integração e valorização. E eles são bastante exercitados com a presença de amigos e familiares na hora da entrega de prêmios, aproximando o profissional do particular, demonstrando que a empresa é mais do que o lugar em que se trabalha, mas onde se constrói o futuro.

A Construtora MBigucci, por exemplo, anualmente realiza a premiação dos seus colaboradores por tempo de casa – a partir de cinco anos, além de destacar eles por seus principais atributos e contribuições. Os filhos dos colaboradores têm uma atenção extra, pois na festa é feita a “chegada do Papai Noel”, com distribuição de presentes, jogos, brincadeiras e gincanas.

Para quem imagina que este é um momento especial apenas para os colaboradores, se engana. Os diretores e proprietários demonstram grande satisfação em poder oferecer um momento de lazer para seus colaboradores e companheiros de jornada. Além da possibilidade de conhecer, longe das mesas de escritório e das telas de computadores, um pouco sobre a vida de cada um dos presentes.

A preparação

Bruno Lessa destaca alguns pontos que devem ser levados em consideração na hora de pensar no evento de final de ano. “A festa deve ser organizada, não somente pelo departamento de Recursos Humanos, mas também pelo Marketing – em conjunto com uma agência. É necessário planejar com bastante antecedência, esta é a chave para um evento de sucesso”. Justamente para este sucesso é que as agências já se preparam, anualmente, para receber pedidos de brindes e festas de ano. Com este apoio fica muito mais fácil pensar no buffet, na decoração, nos convites, bebidas… E por aí vai.

Mas além do que se vê ali, no dia do evento, existe muito trabalho pesado que foi realizado antes. Como os teasers, que aguçam a curiosidade de todos com a possibilidade de mais um evento bombástico. Depois há uma produção de cartazes, newsletter, convites, brindes, troféus. Enfim, tudo o que será para divulgar, premiar e, claro, terá foco na comunicação visual da marca. Um trabalho de praxe nas agências, mas que demandam tempo e dedicação. Além da necessidade de um profissional qualificado para atender a demanda certa de cada empresa.